segunda-feira, 3 de agosto de 2009

E porque há coisas que são imortais...

.
Identifico-me com cada uma destas frases e em cada uma revejo um momento...



"Já perdoei erros quase imperdoáveis,
tentei substituir pessoas insubstituíveis
e esquecer pessoas inesquecíveis.

Já fiz coisas por impulso,
já me decepcionei com pessoas quando nunca pensei me decepcionar,
mas também decepcionei alguém.

Já abracei para proteger,
já dei risada quando não podia,
fiz amigos eternos,
amei e fui amado,
mas também já fui rejeitado,
fui amado e não amei.

Já gritei e pulei de tanta felicidade,
já vivi de amor e fiz juras eternas,
já "quebrei a cara muitas vezes"!

Já chorei ouvindo música e vendo fotos,
já liguei só para escutar uma voz,
já me apaixonei por um sorriso,
já pensei que fosse morrer de tanta saudade
e tive medo de perder alguém especial (e acabei perdendo).

Mas vivi, e ainda vivo!
Não passo pela vida…

E você também não deveria passar!
Viva!

Bom mesmo é ir à luta com determinação,
abraçar a vida com paixão,
perder com classe
e vencer com ousadia,
porque o mundo pertence a quem se atreve
e a vida é "muito" para ser insignificante."

::. - Charles Chaplin - .::
.

3 comentários:

GZ disse...

mt bom!

Bj

Capilé disse...

Olá

Este poema é realmente muito bonito. Mas posso fazer apenas uma correcção? Sei que circula na net como sendo de Charles Chaplin mas é na realidade de um poeta brasileiro: Augusto Branco e possui na Biblioteca Nacional (brasileira) resgisto de direitos de autorais

Poema: Vida
Autor: Augusto Branco (Pseudônimo)
Número de Registro: 449.877
Livro: 845
Folha: 37

Peço desculpa pela correcção mas o seu a seu dono :)

Obrigado

Nice

leve_brisa disse...

Capilé,

Se assim é, então muito obrigada pela correcção!!

;)